<body><script type="text/javascript"> function setAttributeOnload(object, attribute, val) { if(window.addEventListener) { window.addEventListener('load', function(){ object[attribute] = val; }, false); } else { window.attachEvent('onload', function(){ object[attribute] = val; }); } } </script> <div id="navbar-iframe-container"></div> <script type="text/javascript" src="https://apis.google.com/js/plusone.js"></script> <script type="text/javascript"> gapi.load("gapi.iframes:gapi.iframes.style.bubble", function() { if (gapi.iframes && gapi.iframes.getContext) { gapi.iframes.getContext().openChild({ url: 'https://www.blogger.com/navbar.g?targetBlogID\x3d6432744\x26blogName\x3dANTES+DE+TEMPO\x26publishMode\x3dPUBLISH_MODE_BLOGSPOT\x26navbarType\x3dSILVER\x26layoutType\x3dCLASSIC\x26searchRoot\x3dhttp://antesdetempo.blogspot.com/search\x26blogLocale\x3dpt_PT\x26v\x3d2\x26homepageUrl\x3dhttp://antesdetempo.blogspot.com/\x26vt\x3d685797521404101269', where: document.getElementById("navbar-iframe-container"), id: "navbar-iframe" }); } }); </script>

segunda-feira, 28 de junho de 2010

 
Jorge Guimarães (1933-2010)



Debruçado na terra espreito a noite
que se despenha em luzes e silêncio,
eu sou um bicho pequeno e momentâneo
que faz da consciência a sua anomalia,
por um segundo expludo em parca labareda
vaga-lume consumido por si próprio
e durante esse segundo pela noite acesa
habito-a com a ânsia do meu vómito.
O silêncio percorre a escuridão
tão breve como a luz
o que me doi não é o seu encontro
é ser atravessado por Deus,
nesta ara de pedra onde me ponho
assistindo ao meu próprio passamento
bêbedo do meu pesado sono
acordo ao som dos meus passos.
Ah eu queria que este papel negro
e esburacado, eu queria que esta luz,
que este negro de pálpebras fechado,
que o som contínuo do silêncio,
que este toque de folhas nos cabelos,
que este esbarrar nas coisas com os olhos,
que este grito dentro de mim mesmo
se me rasgassem nas mãos como uma carta.
Nesta ponte onde paro sobre o rio
desconhecido da noite
entre as duas margens, devagar, oscilo,
sem me lembrar de uma nem de outra,
nas mãos seguro a esperança que se parte,
foge-me o chão, o céu dança comigo,
a cor deste silêncio esconde a morte
como se a morte fosse a minha vida.
A noite tem mais mortos que as estrelas
que vejo, os olhos desfilam-me em museu,
as bibliotecas ardem, as gerações
enchem o campo-santo do mundo,
e nesta fila sei que agora sou eu,
e somos todos tão iguais, todos tão medonhos,
a habitar os sonhos uns dos outros
no pesadelo de nos metermos medo.
A voz das coisas habita-me de nada,
a minha nau chamou-se esquecimento,
quantas mãos seguraram este crâneo vivo,
escuto-me na noite a noite sem manhã,
a voz das coisas faz o silêncio do mundo,
o vento atravessa as pedras com o frio,
a sucessão dos dias é isenta de mim mesmo,
mas ataca-me de frio como o vento às pedras.

3.00,22/7/87, Funchal


Até sempre, meu caro Jorge.

sábado, 26 de junho de 2010

 
Cosa Nostra


sexta-feira, 25 de junho de 2010

 
Quem quer comprar uma ilha?



O governo grego, finalmente consciente do estado de falência do país, resolveu colocar algumas ilhas à venda. Óptima oportunidade para aplicação de dinheiros que, neste momento, ainda estão em offshores. Por cá, depois desta notícia, o Engº pode estar a considerar as Berlengas. Poder pode mas... não é a mesma coisa.

segunda-feira, 21 de junho de 2010

 
A ler

A propósito de Saramago: David Frum, Death of a Jew-hater.

sábado, 19 de junho de 2010

 
A ler

Carlos Botelho no Cachimbo de Magritte: Não só não tem vergonha como não tem juízo.

segunda-feira, 14 de junho de 2010

 

Foto de Lilya Cornelli


Dans la lanière de prière blanche — le
Seigneur de cette heure
était
une créature d'hiver, c'est
pour lui plaire
qu'est arrivé ce qui est arrivé —
ma bouche grimpante a mordu, s'est accrochée, une fois encore,
quand elle t'a cherchée, trace de fumée
toi, là-haut,
silhouette de femme,
toi en voyage vers mes
pensées de feu dans le gravier noir
au-delà des mots de scission à travers
lesquels je t'ai vue partir, haute
perchée sur tes jambes et
ta propre
tête
aux lèvres lourdes
sur le corps vivant de mes
mains
mortellement exactes.


Paul Celan in Renverse du souffle, 1967.

quarta-feira, 9 de junho de 2010

 
A ler

Rodrigo Adão da Fonseca: A retórica da avestruz.

quinta-feira, 3 de junho de 2010

 
A noite da filosofia

Para quem estiver em Paris amanhã, de sexta para sábado, na École Normale Supérieure, a noite da filosofia, das 8 da noite de sexta às 7 da manhã de sábado.
Programa aqui.

quarta-feira, 2 de junho de 2010

 
Diário da guerra




Um excerto do The Covenant of the Islamic Resistance Movement:
“Israel will exist and will continue to exist until Islam will obliterate it, just as it obliterated others before it.”
“The Islamic Resistance Movement believes that the land of Palestine is an Islamic Waqf consecrated for future Moslem generations until Judgement Day. It, or any part of it, should not be squandered: it, or any part of it, should not be given up.”
“The Movement is but one squadron that should be supported by more and more squadrons from this vast Arab and Islamic world, until the enemy is vanquished and Allah’s victory is realised.”
“The Islamic Resistance Movement aspires to the realisation of Allah’s promise, no matter how long that should take. The Prophet, Allah bless him and grant him salvation, has said: “The Day of Judgement will not come about until Moslems fight the Jews (killing the Jews), when the Jew will hide behind stones and trees.”
“Initiatives, and so-called peaceful solutions and international conferences, are in contradiction to the principles of the Islamic Resistance Movement. Abusing any part of Palestine is abuse directed against part of religion. Nationalism of the Islamic Resistance Movement is part of its religion.”
“There is no solution for the Palestinian question except through Jihad. Initiatives, proposals and international conferences are all a waste of time and vain endeavors.”
“After Palestine, the Zionists aspire to expand from the Nile to the Euphrates. When they will have digested the region they overtook, they will aspire to further expansion, and so on. Their plan is embodied in the “Protocols of the Elders of Zion”, and their present conduct is the best proof of what we are saying.”
“The day the Palestine Liberation Organization adopts Islam as its way of life, we will become its soldiers, and fuel for its fire that will burn the enemies.”
“Under the wing of Islam, it is possible for the followers of the three religions - Islam, Christianity and Judaism - to coexist in peace and quiet with each other. Peace and quiet would not be possible except under the wing of Islam. Past and present history are the best witness to that.”

terça-feira, 1 de junho de 2010

 
Diário da guerra



Enquanto alguma intelligentsia ocidental continuar (com a ajuda dos media) a subverter a verdade, continuaremos a perder a guerra. Eis como a "frota humanitária" recebeu os soldados israelitas.

This page is powered by Blogger. Isn't yours?