<body><script type="text/javascript"> function setAttributeOnload(object, attribute, val) { if(window.addEventListener) { window.addEventListener('load', function(){ object[attribute] = val; }, false); } else { window.attachEvent('onload', function(){ object[attribute] = val; }); } } </script> <div id="navbar-iframe-container"></div> <script type="text/javascript" src="https://apis.google.com/js/plusone.js"></script> <script type="text/javascript"> gapi.load("gapi.iframes:gapi.iframes.style.bubble", function() { if (gapi.iframes && gapi.iframes.getContext) { gapi.iframes.getContext().openChild({ url: 'https://www.blogger.com/navbar.g?targetBlogID\x3d6432744\x26blogName\x3dANTES+DE+TEMPO\x26publishMode\x3dPUBLISH_MODE_BLOGSPOT\x26navbarType\x3dSILVER\x26layoutType\x3dCLASSIC\x26searchRoot\x3dhttp://antesdetempo.blogspot.com/search\x26blogLocale\x3dpt_PT\x26v\x3d2\x26homepageUrl\x3dhttp://antesdetempo.blogspot.com/\x26vt\x3d685797521404101269', where: document.getElementById("navbar-iframe-container"), id: "navbar-iframe" }); } }); </script>

segunda-feira, 30 de maio de 2005

 
Lembrete


Foto de Lynn Hershman



A nunca esquecer: as manhãs
Da infância, os pães alemães
A sala escura

Na casa da rua Voluntários
Da Pátria, lar de funcionários
Da prefeitura.

A nunca esquecer: minha avó
Prosternada (Deus e ela) só
Pele e ossos

A tatalar silêncio e paz
Nas consoantes labiais
Dos padre-nossos.

A nunca esquecer: a carne negra
O cheiro agreste, a pele íntegra
Nua na cama

Nas justaposições mais pródigas
Que menino não ama as nádegas
De sua ama?

A nunca esquecer: as gavetas
Velhas, à luz; as rendas pretas
As caixinhas

E as sublimes fotografadas
Mortas, mas ainda enamoradas
Ó tias minhas!

A nunca esquecer: certa mulher
Cuja face não posso mais ver
Em certo quarto

A mergulhar minha cabeça
Por entre a escuridão espessa
Do ventre farto.

A nunca esquecer: o caso Sacco
E Vanzetti nem Michel Zevaco
(Que o avô me deu!)

Que este seria o quixotismo
A arrebatar-me de ismo em ismo
A um: como o meu.


Vinicius de Moraes

in Poesia completa e prosa: "Poesias coligidas"



<< Home

This page is powered by Blogger. Isn't yours?