<body><script type="text/javascript"> function setAttributeOnload(object, attribute, val) { if(window.addEventListener) { window.addEventListener('load', function(){ object[attribute] = val; }, false); } else { window.attachEvent('onload', function(){ object[attribute] = val; }); } } </script> <div id="navbar-iframe-container"></div> <script type="text/javascript" src="https://apis.google.com/js/plusone.js"></script> <script type="text/javascript"> gapi.load("gapi.iframes:gapi.iframes.style.bubble", function() { if (gapi.iframes && gapi.iframes.getContext) { gapi.iframes.getContext().openChild({ url: 'https://www.blogger.com/navbar.g?targetBlogID\x3d6432744\x26blogName\x3dANTES+DE+TEMPO\x26publishMode\x3dPUBLISH_MODE_BLOGSPOT\x26navbarType\x3dSILVER\x26layoutType\x3dCLASSIC\x26searchRoot\x3dhttp://antesdetempo.blogspot.com/search\x26blogLocale\x3dpt_PT\x26v\x3d2\x26homepageUrl\x3dhttp://antesdetempo.blogspot.com/\x26vt\x3d685797521404101269', where: document.getElementById("navbar-iframe-container"), id: "navbar-iframe" }); } }); </script>

terça-feira, 14 de junho de 2005

 
Um livro



Como assinala a introdução de Mário Santiago de Carvalho, este Diálogo sobre a Felicidade, dedicado por Santo Agostinho ao seu mestre Teodoro, aconteceu realmente entre os dias 13 e 15 de Novembro do ano de 386. Sendo essencialmente um diálogo neoplatónico, Santo Agostinho lança aqui uma primeira versão de uma autobiografia que, mais tarde, será retomada e completada nas Confissões. Mas, mais fundamental, Agostinho transforma o tema da felicidade num estudo sobre o amor e o desejo na sua dimensão fenomenológica. A questão essencial que este diálogo levanta é sobre a sedução e a vertigem do abismo: que é o amor, se não existe o outro? O outro que se conhece na viagem, que se inaugura na dimensão horizontal do uso e que remete, finalmente para o desejo. Desejo — eis o nome próprio da relação e da estranheza, da proximidade que nos aflige, mas nos fascina.



<< Home

This page is powered by Blogger. Isn't yours?