<body><script type="text/javascript"> function setAttributeOnload(object, attribute, val) { if(window.addEventListener) { window.addEventListener('load', function(){ object[attribute] = val; }, false); } else { window.attachEvent('onload', function(){ object[attribute] = val; }); } } </script> <div id="navbar-iframe-container"></div> <script type="text/javascript" src="https://apis.google.com/js/plusone.js"></script> <script type="text/javascript"> gapi.load("gapi.iframes:gapi.iframes.style.bubble", function() { if (gapi.iframes && gapi.iframes.getContext) { gapi.iframes.getContext().openChild({ url: 'https://www.blogger.com/navbar.g?targetBlogID\x3d6432744\x26blogName\x3dANTES+DE+TEMPO\x26publishMode\x3dPUBLISH_MODE_BLOGSPOT\x26navbarType\x3dSILVER\x26layoutType\x3dCLASSIC\x26searchRoot\x3dhttp://antesdetempo.blogspot.com/search\x26blogLocale\x3dpt_PT\x26v\x3d2\x26homepageUrl\x3dhttp://antesdetempo.blogspot.com/\x26vt\x3d685797521404101269', where: document.getElementById("navbar-iframe-container"), id: "navbar-iframe" }); } }); </script>

segunda-feira, 28 de julho de 2008

 
Codex Sinaiticus


Finalmente online para estudo e consulta o Codex Sinaiticus. Embora ainda com poucos versículos transcritos para inglês, o projecto internacional que coloca agora disponível o Codex Sinaiticus em linha promete continuar paulatinamente. O Codex Sinaiticus é um dos mais importantes livros do mundo. Manuscrito sobre pergaminho há mais de 1600 anos, contém a mais antiga Bíblia cristã, escrita em grego, e a mais antiga versão conhecida do Novo Testamento. O Livro do Sinai, como também é chamado, é provavelmente o único livro que sobreviveu à Antiguidade e, também por isso, documento fundamental para a História do livro.



Mantido durante séculos à guarda do Mosteiro de Santa Catarina no Monte Sinai, as folhas deste livro começam a dispersar-se em 1844, 1853 e 1859 quando Constantine Tischendorf consegue trazer da Palestina parte do livro para publicação. Em 1933, o governo soviético compra 347 folhas, hoje na posse da Biblioteca Britânica. Partes de cinco folhas continuam na posse da Biblioteca Nacional Russa em S. Petersburg. Umas outras 43 folhas estiveram todo este tempo na posse da Biblioteca da Universidade de Leipzig. Doze folhas e vinte e quatro fragmentos permaneceram no mosteiro de Santa Catarina, no Sinai, e foram recuperados pelos monges em 1975. Em Março de 2005, estas quatro entidades (Biblioteca Britânica, Biblioteca Nacional Russa de S. Petersburg, Biblioteca da Universidade de Leipzig e Mosteiro de Santa Catarina no Monte Sinai) acordaram num projecto que visa a conservação, digitalização e transcrição de todas as páginas e fragmentos (cerca de 400) do Codex Sinaiticus. A maior curiosidade da tão aguardada transcrição prende-se com a mais antiga versão do Novo Testamento, escrita cerca de 300 anos após a Crucificação. Embora semelhante em todos os aspectos às Bíblias modernas, no Codex Sinaiticus a ordem dos textos não é a mesma: a Carta aos Hebreus está depois da Segunda Carta de Paulo aos Tessalonicenses e os Actos dos Apóstolos entre a Pastoral e as Epístolas Católicas. Para além disto, existem dois textos que não constam das Bíblias modernas: uma epístola de autor desconhecido que, no entanto, se afirma como o apóstolo Barnabé e um outro texto, com título "O Pastor", escrito no início do século II pelo escritor romano Hermas. A ler mais
aqui.



<< Home

This page is powered by Blogger. Isn't yours?